Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com o monitoramento e armazenamento de cookies em seu dispositivo para ajudar a nossa equipe de marketing, melhorar a sua navegação e a nossa análise do site. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

O trabalho remoto veio para ficar

A Fintera acredita neste modelo para manter sua equipe engajada
Por Fintera
|
08/02/2022

O trabalho remoto já era uma das principais tendências para o mercado de trabalho antes mesmo da pandemia acontecer. Algumas empresas já tinham adotado este modelo e outras estudavam como fazer esta mudança, pois perceberam que é possível desempenhar as tarefas fora do ambiente corporativo com eficiência.

A liberdade geográfica experimentada pelos nômades digitais e profissionais ligados, principalmente, às áreas de tecnologia sempre despertaram a curiosidade de muitos. E em 2020, com o avanço da Covid-19, milhões de pessoas, em todo o mundo, foram obrigadas a desempenhar suas atividades confinadas em seus ambientes residenciais.

Foi a forma abrupta de como esta transição ocorreu que trouxe alguns malefícios relatados por funcionários. As empresas não estavam preparadas para lidar com as questões inerentes ao trabalho à distância e apenas levaram o jeito de como as coisas eram feitas dentro do escritório para dentro das casas das pessoas. Não levaram em conta, por exemplo, que elas dividem o mesmo ambiente, até mesmo o computador, com seus familiares.

Porém, há diversos benefícios relatados por trabalhadores que já adaptaram-se à nova rotina, entre eles a redução dos custos, maior autonomia, mais tempo com a família e não há necessidade de fazer deslocamentos. E, no momento, também se sentem mais protegidos em relação ao risco de contágio do vírus Covid-19 e suas variantes.

O guia “Remotos para o Bem”, da plataforma Officeless, que ajuda líderes a adotarem o trabalho remoto para criarem equipes com pessoas mais produtivas, engajadas e realizadas - independentes de suas localizações, ensina algumas boas práticas para as empresas, como:

  • Não introduza muitas ferramentas ao mesmo tempo;
  • Evite medir o sucesso do trabalho em horas;
  • Não queira controlar a todo momento se as pessoas estão online;
  • Não dependa de reuniões e videoconferências para saber o que precisa ser feito.

Na Fintera, esses pontos já estão sendo adotados, pois a empresa está em busca de oferecer o melhor ambiente de trabalho, mesmo à distância, aos seus colaboradores, que estão presentes nos quatro cantos do Brasil e em outros países. Palestras com profissionais da área de saúde mental também já foram realizadas e há diversas atividades de engajamento com a marca programadas para os próximos meses. Para nós, o trabalho remoto veio para ficar e incentivamos que nossos colaboradores trabalhem de onde quiserem.

Relacionados

trabalho remoto, liberdade geográfica, officeless, casa, escritório